E vc? Blue pill ou Red pill (minha visão sobre a palestra de Redes Sociais)

12 08 2009

São seis da matina e eu nao consegui dormir direito essa noite. Parte foi pelos drinks com o Andrei pós-palestra, parte pela excitação positiva com o debate mas, infelizmente, parte foi pela impressão de feedback negativo que tive de alguns participantes analógicos.

FICO FELIZ > Não tenho dúvidas que vocês adoraram a apresentação. A tag #redessociais, sugerida pelo Lula, tá repleta de conteúdo espontâneo, debates paralelos de altíssimo nível e elogios que me fazem ficar ruborizado (afinal, vocês sabem o quanto eu sou tímido com essas coisas – claro, claro…). Além disso, durante o evento, o PPT da apresentação foi pra home do SlideShare (na seção Hot on Twitter) por estar sendo um dos documentos mais tuitados naquele momento (uau!). No site blablabra, novamente (primeira vez foi no último #soumaisweb) nossa tag ficou entre os cinco tópicos mais falados no Twitter brasileiro.

Por fim, ter a presença de umas 120 pessoas (mtas das quais eu considero inspirações profissionais!) foi extremamente gratificante – e olha q não to contanto as outras tantas que acompanharam ao vivo pelo Twitter ou streaming feito pelo Planetário (aliás, o Márcio, a Malu e o pessoal do Planetário deram show de competência, receptividade e infra, obrigado).

FICO AINDA MAIS FELIZ > pelos elogios tecidos por alguns feras da internet carioca e nacional, bem como pela mera presença (seja física ou virtual) de nomes como: Robert Rodrigues (e o pessoal da Frog em massa!), Patricia Moura, Simone Villas-BoasCris Dissat, Pat Haddad, Cristiano SantosBia Mansur … a lista poderia continuar até o final da página… (sem ciúmes ou #mimimi, please)

Mas fico meio… digamos, chateado > Comecei a apresentação com dois slides importantes: um falava basicamente que eu digo o que penso e acredito piamente que a internet tá muito ligada a uma revolução social e é um tesão viver e participar ativamente desse movimento; outro era sobre a Red Pill do Matrix (os q me conhecem sabem q uso essa metáfora faz tempo).

Naturalmente (já esperava por isso – o público não é o mesmo do #soumaisweb…) havia pessoas analógicas na palestra. Por isso, a idéia da #redpill é tão importante. Cada vez que eu (ou a @missmoura, @roneyb, @dorlyneto etc) falava que o mundo é outro (se não é em certos segmentos, será em poucos anos) e que as formas de comunicação, interação, relacionamento, transações com empresas, e mesmo as competências profissionais são outros, estão mudados devido ao impacto da internet e às mudanças sociais pelas quais passamos… cada vez que falava sobre isso, o pessoal que ainda não enxerga a nova realidade (optaram pela Blue Pill???) não se continha!

Por um lado, essa oposição à internet gerou debates interessantes tanto durante a palestra, quanto no Twitter em tempo real. Mas, por outro, fiquei chateado ao perceber que as barreiras mentais em aceitar que o mundo que conhecemos e aceitamos hoje está mudado são fortes e causam desconforto em muita gente.

Eu entendo. Sério, entendo mesmo. Chega um cara lá na frente, eu não sei quem é, diz um monte de nome que eu nunca ouvi falar, e até diz palavrão durante a apresentação. Aí eu olho pra platéia e tem um bando de gente semi-estranha falando em “existir na internet”, dizendo que nem mesmo um bilhão de reais compram resultado, e coisas do tipo “ué! Mas quem acredita em jornal hoje em dia?” (essa última foi uma fantástica intervenção do @roneyb). A conversão pode ser difícil (sugestão – Animatrix).

Esquece jornal! A credibilidade que damos hoje aos veículos tradicionais de comunicação está abalada. Não (só) pq eles são tendencioso, mas pq pessoas comuns são tão críveis quanto os grandes, graças à internet – graças ao nosso filtro social. Um dos analógicos (o Roberto Ferreira, que ganhou o livro da Raquel – aliás, esse semi se converteu e é validado pelo @lularibeiro) me perguntou como eu acreditava no Zezinho da Esquina e não dava tanta bola pra, por exemplo, a Folha de SP… FÀCIL – não preciso sequer conhecer o Zezinho. Na verdade, ele nem precisa ser quem diz! O fato é que eu tenho um filtro social (escolhido, nutrido e diariamente validado por mim e pela comunidade) que já disse que o tal fulano é relevante. Portanto, não preciso ser massificado por publicidade ou apelos de marketing; esse meu filtro social (e a comunidade online de maneira geral) já faz o trabalho de separar o joio do trigo e eu (todos nós!) também contribuo com essa dinâmica.

É mais fácil entender isso pensando no conceito do eBay, Amazon, Mercado Livre etc. Ou seja, esquece comprar na Saraiva, PontoFrio etc só pq são “lojas que eu conheço”. Bullshit! Se a comunidade disse que é seguro e confiável comprar num joão qualquer que vende produtos direto do banheiro desativado da casa dele, que fica no interior de Bom Jesus dos Prazeres, num município isolado de Aracajú, pronto! Compro sem piscar o olho!

Além disso, aquelas brincadeirinhas que faço sempre tb não foram muito bem aceitas por alguns. Quando falei do Rupert Murdoch, magnata das comunicações, e brinquei dizendo “seu amigo Rupert” (olhando pro lado do pessoal #bluepill na platéia), a galerinha até se mexeu na cadeira! Pior – viro prum bando de jornalista e RP que fazem as coisas do mesmo jeito há 30 anos e digo: “esquece: tudo que voce faz e acredita hoje é obsoleto. Eu sequer acho que vai existir agencia de publicidade/RP/assessoria no futuro“… aí só faltou ser apedrejado!

É uma pena ver o incomodo que a Era Digital (ou revolução online) causa nos analógicos. A pessoa se sente mega ameaçada e isso é difícil de aceitar. Lembram como o Neo se sentiu quando o Morpheu manda a real pra ele? O cara vomita e desmaia! Ontem achei que ia ter gente tendo esse tipo de reação. Mas não – muitos resistiram bravamente e continuam dando sua energia pra mover a matrix… escolheram, conscientemente, permanecer encapsulados.

Mais que isso, mais que se converter (ou melhor, não se converter) é ter um feedback no final (claro, do pessoal offline) dizendo “acho que o pessoal mais velho esperava ouvir mais sobre empresas”. Eu agradeci educadamente e disse: “ué, mas tudo que eu falei é sobre empresas!”.

Pombas; de cara já coloco pro pessoal que na internet (e, principalmente, nas redes sociais), as organizações assumem uma identidade, uma personalidade (quer elas queiram ou não!) e, por isso, são percebidas e julgadas como pessoas, indivíduos! A partir daí, todos os conceitos que trouxe são igualmente aplicados pra, digamos, pessoas físicas e jurídicas. Claro, há diferenças na abordagem de cada um nas redes sociais (afinal, os objetivos da gente e das organizações são distintos – BEM distintos…), mas o princípio vale pra ambos: pra existir nas redes sociais, devemos ser relevantes.

Com esse conceito em mente, quero fechar o post dizendo que o que eu quero é ser relevante no meu próprio meio social. Ou seja, quero trocar, compartilhar e viver essa revolução social junto com vocês.  Assim, muito obrigado a todos que participaram (lá na hora ou via web) e mais thanks ainda pelo valor que vocês geraram com UGC no Twitter, Flickr, Qik etc etc. Em setembro vamos ter mais um #soumaisweb (provavelmente sobre privacidade com um cara fera que fez doutorado no Oxford Internet Institute) e na terça que vem vou ter a honra de começar a dar aulas pra pessoas já feras e muito relevantes na internet e fora dela tb!

(só mais uma > o que foi aquilo de “manipular” as pessoas nas redes sociais????????)

> Quem colocou o que online? <

:: PPTS / RECOMENDAÇÕES DE LEITURA

:: MULTIMÍDIA

:: POSTS SOBRE O EVENTO

– Leia minha coluna no Nós da Comunicação (falo sobre relevância)
– O que falaram da apresentação no Twitter
– Leia o que tenho sobre Redes Sociais aqui no blog
– Saiba mais sobre o evento #soumaisweb
– Veja mais sobre a pós-graduação em Gestão Estratégica de Marketing Digital
– Baixe outras apresentações e cursos meus
– Leia alguns artigos relacionados à privacidade

Anúncios

Ações

Information

8 responses

12 08 2009
Marcos Andrade

Não pude ir a palestra e não consegui achar onde (site) seria a transmissão ao vivo. Não havia em nenhum lugar informação sobre isso. Será que vc poderia disponibilizar o vídeo aqui?

Abçs.

12 08 2009
Nino Carvalho

Oi Marcos! Valeu pelo interesse, uma pena nao ter achado o endereço da transmissão ao vivo – o pessoal colocou na #redessociais (tem link no post).
Tudo que postaram eu consolidei aí no post, de maneira que os videos são os que eu coloquei embaixo de “multimídia” (em rosa).
Ajudou?
Abraços e obrigado

12 08 2009
pixeladas aleatórias .... A identidade virtual da pessoa jurídica

[…] durante a palestra sobre Redes Sociais, do Nino Carvalho, onde rolou uma bela discussão sobre as novas gerações de profissionais ou quem está disposto a encarar o admirável mundo novo. Lula Ribeiro publicou uma descrição do […]

13 08 2009
Andrei

Ótimo texto, Nino! Você traduziu muito bem a sensação de quem já tomou a “red pill” ao ver o pessoal que preferiu (ainda?) não acreditar na Matrix ficar “bolado” naquele auditório.

Curti muito seu texto que acabou virando desabafo de nós todos que tentamos olhar o mundo um pouco além das fronteiras reais, imaginárias e digitais.

14 08 2009
Absolute Begginner… « Radiola Digital

[…] By radioladigital Falando sobre a palestra do @ninocarvalho sobre Redes Sociais… Saí de lá com a verdadeira sensação boa e desesperadora que ainda tenho muito o que […]

14 08 2009
Como manipular pessoas na Internet? « Meme de Carbono

[…] pergunta acima foi feita por alguém na platéia de mais uma excelente palestra sobre Redes Sociais do @ninocarvalho esta semana no Planetário e está no título deste post por dois […]

15 08 2009
A importância das redes sociais « Quinquilharias – Maurício Louro

[…] das pessoas em relação à internet. Tive uma boa oportunidade recentemente na palestra/debate do Nino Carvalho sobre redes sociais, no Planetário da Gávea View This Pollopinion . Foi bom compartilhar aquilo com tanta gente de comunicação, mas […]

18 09 2009
Minha tentativa de entender *que diabos é relevância!* « Godfather :: Inteligência e Estratégia em Marketing Digital

[…] pelos últimos papos sobre o tema (como a troca de ideias na minhapalestra no planetário, os pensamentos do Nepomuceno e do Roney o debate que levantei […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: